quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Setembro - O Douro se prepara para as vindimas

Ano passado fomos conferir, in loco, as vindimas do Douro. Sempre ouvimos falar, lá em casa, da apanha e pisa das uvas, pelos nossos avós. A coincidência é que tudo começou nessa região pelas mãos da rainha do Douro, Sra Antónia Adelaide Ferreira, a Ferreirinha ! Mas é só coincidência, cada uma, rainha do seu pedaço, a do Douro e a de Ipanema !

Voltando às vindimas, é em setembro que a região tem o ponto alto das festividades (esse ano de 2010 , os principais dias são 12/18/19/25 e 26 )


Para nossa alegria e mais coincidências, fomos recebidos por um dos descendentes da Adelaide Ferreira, Francisco Ferreira e Sra ( sexta geração), a pedido de um amigo em comum ( sim, as irmãs cajazeiras não perdem a oportunidade de estarem juntas....)e, que, gentilmente, ofereceram-nos um almoço delicioso.
Já como aperitivo do que íamos encontrar pela frente, fomos apresentados à mais nova produção da Quinta, o vinho Adelaide 2009! Um ícone de excelência da Quinta ( um vinho que será caro, muito caro )mas , também, uma nítida homenagem à Sra.Adelaide Ferreira, só que a deles e não à nossa madressita !

A Quinta do Vallado, construída em 1716 tem além da sede uma outra casa, no mesmo terreno, com o conceito de Turimo Rural e oferece 5 confortáveis quartos, com direito a visita à Adega, degustação e a combinar passeios de barco pelo Douro etc....tudo isso com uma vista linda para um dos afluentes do Douro, o Rio Corgo.















Hoje em dia, muitas Quintas, no Douro, fazem a pisa das uvas mecanicamente ou a pisa robótica mas a nossa curiosidade era ver uma pisa comme il faut, com os trabalhadores pisando no lagar de pedra (granito) e cantando músicas populares . Mais uma vez, vovó nos ajudou lá de cima, e como por encanto, uma das pessoas presentes no almoço era diretora de uma outra famosa Quinta e nos proporcionou, em privado, de uma experiência vinícola sensacional.

A pisa tradicional das uvas, é feita por jovens da região que passam a noite a pisar as uvas com os pés, tudo cadenciado, uniforme, seguindo as ordens do líder, para que nenhum centímetro quadrado do perímetro deixe de ser pisado. Um trabalho duro, de horas e horas de trabalho ( só saem para ir ao banheiro, assim mesmo em rodízio, para não perder o ritmo ), tudo com um espírito de equipe de fazer inveja aos maiores profissionais de RH ! Ganham por dia e merecem cada euro recebido.É tão duro, esse trabalho, que depois de tanto tempo pisando cadenciadamente, os pés parecem ter centenas de agulhas, provocado pelo mosto (suco) da fermentação. Esse processo está cada vez mais raro e mais difícil, não só por falta de mão de obra mas por ser dispendioso. Mas antes que isso acabe ( não acredito, Portugal gosta e preserva suas tradições),mostro as fotos de tudo que vimos para que possam conhecer melhor esse fantástico e trabalhoso processo. Ah ! Antes que pensem mal da pisa em termos higiênicos, tem todo um ritual para se entrar no lagar. Antes os pés são bem lavados e, normalmente, usam um uniforme ( short e camisa xadrez mas acho que isso é coisa para turista ver) , como estávamos num ambiente privado não vimos ninguém de xadrez)

Só como curiosidade, perguntamos às moças, se a tinta custava a sair das pernas e, para nossa espanto, elas disseram que as vezes só depois de 6 meses!!!!!!!!!!!!!

Com essa me despeço e cada vez mais acho o preço do vinho merecido !

P.S 1 - O crédito da foto com a garrafa do vinho em tamanho grande , by photoshop, é da missivista aqui !

P.S 2 - Dica boa: restaurante DOC, de frente para o Douro ( fazem passeios de barco com cesta de piquenique gourmet com harmonização de vinhos) . Passeio de barco ou comboio de Régua do Peso até Pinhão. Pousada histórica de Mesão Frio.

Vou tentar postar 2 filmes.


video





video

Nenhum comentário:

Postar um comentário